segunda-feira, 8 de setembro de 2008

A arte de cuidar


Enfermagem...a arte de cuidar...

A enfermagem é uma profissão q busca promover o bem estar do ser humano, nos aspectos psicológicos, espirituais, sociais e físicos, considerando sua liberdade, unicidade e dignidade, atuando na promoção sa saúde , prevenção de enfermidades, no transcurso de doenças e agravos, nas incapacidades e no processo de morrer.

É uma ciência e uma arte.

A ciência, c seu corpo de conhecimento próprio, visa a saúde,

e a arte cuida do paciente,

durante períodos de doença, auxiliando-o p atingir seu potencial máximo de saúde durante seu ciclo de vida.

O enfermeiro deve colocar-se no lugar do outro, passando a cuidar c um significado de humanizar, envolvendo respeito, dignidade e abrangendo a expressão amar ao próximo como a si mesmo.

O cuidado ativa um comportamento de compaixão, de solidariedade, de ajuda, no sentido de promover o bem.

Isso é humanização hospitalar.

Tocar, conversar, ouvir o ser humano q está à sua frente.

Tratar o paciente como pessoa, respeitar suas individualidades, suas vontades, suas emoções, suas crenças, seus pudores...cuidar da pessoa como um todo, não cuidar só do corpo.

O paciente deve ser considerado como uma pessoa q está em um momento difícil, mas q é um ser humano c necessidades, sentimentos, alguém q precisa não apenas de cuidados físicos, mas tb psicossocioespirituais, nunca esquecer q quem está ali é uma pessoa igual à vc, mas q está doente, necessitando de cuidados. Ele precisa tudo o q vc precisa, espiritual, afetivo, alivio de dor.

Um cuidado além de tecnico, c uma dose de sentimento, nunca tratando como um número, uma doença, uma patologia.

E, além de envolver o cuidado ao paciente, a humanização estende-se a todos q estão envolvidos: a família, a equipe e o ambiente.

Devemos construir uma realidade mais humana, menos agressiva e hostil, principalmente a pacientes de UTI, q é um dos ambientes mais agressivos, tensos e traumatizantes do hospital, uma unidade preparada p atender pacientes graves, onde expõe o paciente a um ambiente hostil, c exposição intensa a estímulos dolorosos, onde a luz contínua, assim como procedimentos invasivos são constantes em sua rotina de cuidados.

A estrutura das UTIs está cada vez mais sofisticada e burocratizada.

O ambiente físico pode ser responsável pelo desenvolvimento de distúrbios psicológicos, pela desorientação no tempo e no espaço, privação de sono devido aos ruídos constantes.

Pacientes estão à merce de estranhos cujas funções e papéis desconhecem, de máquinas, aparelhos de testes e de rotinas totalmente desconectadas de seus hábitos.

A essência da enfermagem em cuidados intensivos não está nos ambientes ou nos equipamentos, mas no processo de tomada de decisões, baseado na compreensão das condições fisiológicas e psicológicas do paciente.

Porém, o enfermeiro não pode humanizar o atendimento desses pacientes antes de aprender como ser inteiro, íntegro consigo mesmo. Não deixando de lado a motivação, comprometimento, postura ética e moral, características pessoais, familiares e sociais.

O encontro c o paciente nunca é neutro, sempre carregamos preconceitos, valores, atitudes. Por isso cuidar de quem cuida é essencial p se poder cuidar de outros.

Entendendo e aceitando quem somos e o q estamos fazendo, seremos capazes de cuidar.

O processo de interação efetiva entre o enfermeiro, o paciente e familiares não é fácil, uma vez q aspectos psicológicos negativos estarão sempre envolvidos.

Sofremos, principalmente, c os pacientes a q nos apegamos mais.

Nos envolvemos c a familia. As vezes ficamos o dia inteiro, com um paciente grave, e de repente ele vai a óbito, por isso q mtos profissionais parecem frios, c um relacionamento distante, o q na verdade é apenas um mecanismo de defesa perante uma possível perda.

Enfim, enfermagem é aprender a sorrir e mostrar alegria e gratidão por estar cuidando.

E, poder ser enfermeiro é poder ter uma forma de viver p o próximo sem nunca deixar de sermos nós mesmos.

É estar atento aos pormenores q fogem a vista do senso comum...é reparar em tudo e em mais alguma coisa q ninguém mais repara no paciente, é querer o melhor afastando o pior...

é ser um anjo de branco q respeita a vida.

4 comentários:

Raquel Rosa disse...

Lindo o Texto, adorei o seu blog! está super show!
Beijão e Sucesso!

wanderlaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lana disse...

Oi cacá desculpaaaaaa..!foi um grande equivoco,verdade..li o recado da raquel e fiquei com isso na cabeça.rsr desculpa.Obrigada pela autorizaçao.Voce realmente escreve textos muito bonitos.Fica com Deus.bjus

Anônimo disse...

Mto show!!! Falou tdo!!adorei